«Aqui há uns dias, dois dirigentes do Bloco de Esquerda escreveram no Público um texto a defender o direito de pichar indiscriminadamente as paredes, os monumentos, os comboios, os autocarros.»
O Bloco de Esquerda cansa; é um factor de permanente instabilidade no nosso país. Não se pode construir nada em Portugal sem que o Bloco de Esquerda apareça a tentar destruir. Em tudo e em todas as áreas da sociedade. O Bloco de Esquerda não tem outro objectivo político senão destruir tudo o que puder, e se lhe derem oportunidade.
A missão de destruição bloquista é incansável. Quem se cansa somos nós, a sociedade, que somos o alvo da acção destrutiva do Bloco de Esquerda. Esse cansaço nosso é uma reacção de acomodação, a tentativa de contornar os problemas colocados pela patologia bloquista mediante um conformismo que não afronta a agressão permanente do Bloco de Esquerda. As pessoas, em geral, preferem baixar os braços, em vez de desafiar a psicopatia ideológica do Bloco de Esquerda.