terça-feira, 6 de agosto de 2013

MPF - Ministério Público Federal é dominado pelos Gaysistas Petistas e Esquerdistas. Eles invadem um culto da Assembleia de Deus, cometem crimes previstos na Constituição Federal, provocam tumultos e desordens e são os crentes que são investigados. Lamentável o comportamento do MPF. É o uso do MPF para estabelecer Sodoma e Gomorra.

MPF - Ministério Público Federal é dominado pelos Gaysistas Petistas e Esquerdistas. Eles invadem um culto da Assembleia de Deus, cometem crimes previstos na Constituição Federal, provocam tumultos e desordens e são os crentes que são investigados. Lamentável o comportamento do MPF. É o uso do MPF para estabelecer Sodoma e Gomorra.

Clique no link abaixo para ver a matéria:
http://intoleranciahomossexual.blogspot.com.br/2013/08/mpf-ministerio-publico-federal-e.html

quarta-feira, 10 de julho de 2013

segunda-feira, 17 de junho de 2013

Apontamentos sobre os tumultos e manifestações recentes por Augustus Nicodemus Lopes

Apontamentos sobre os tumultos e manifestações recentes por  Augustus Nicodemus Lopes

Clique no link abaixo para acessar o artigo:
http://presbiteropresbiteriano.blogspot.com.br/2013/06/apontamentos-sobre-os-tumultos-e.html

(Vídeo) - Protesto ou anomia? Não seja manipulado pela liderança esquerdista e incoerente.

(Vídeo) - Protesto ou anomia? Não seja manipulado pela liderança esquerdista e incoerente.

Clique no link abaixo para acessar o vídeo:
http://historiareformacional.blogspot.com.br/2013/06/video-protesto-ou-anomia-nao-seja.html

(Vídeo) - A REVOLUÇÃO DAS VÍTIMAS - (denunciado a estratégia dos depravados esquerdistas)

(Vídeo) - A REVOLUÇÃO DAS VÍTIMAS - (denunciado a estratégia dos depravados esquerdistas)

(Vídeo) - A REVOLUÇÃO DAS VÍTIMAS - Vídeo comenta o excelente livro "The Victims' Revolution", de Bruce Bawer, sobre essa visão simplista, maniqueísta, coletivista e marxista de "oprimidos x opressores", tão disseminada na Academia moderna, criando um racha desnecessário entre INDIVÍDUOS que não precisariam ter a mesma identidade grupal.

Clique no link abaixo para acessar o vídeo:
http://metodologiadoestudo.blogspot.com.br/2013/06/video-revolucao-das-vitimas-video-onde.html

A tarifa da ignorância - "Não seja um "idiota útil" a serviço dos depravados comunistas e esquerdistas nas passeatas ideologizadas" - Prof. Luis Cavalcante

A tarifa da ignorância - "Não seja um "idiota útil" a serviço dos depravados comunistas e esquerdistas nas passeatas ideologizadas" - Prof. Luis Cavalcante

Clique no link abaixo para acessar a matéria:
http://jornalsaopaulopresbiteriano.blogspot.com.br/2013/06/a-tarifa-da-ignorancia-nao-seja-um.html

segunda-feira, 10 de junho de 2013

A Bíblia e a Bebida Alcoólica. "Não consumo nenhum tipo de bebida alcoólica. Prof. Luis Cavalcante"


A Bíblia e a Bebida Alcoólica











  
Às vezes parece difícil saber ao certo que postura o cristão deve tomar diante das bebidas alcoólicas. De um lado, acham-se muitos textos que parecem incentivar a abstinência, mas, por outro lado, há trechos em que Jesus transformou a água em vinho, bebeu vinho etc. Qual é o ensino das Escrituras acerca do uso do álcool? Para entendermos esse assunto corretamente, é necessário começar com uma postura adequada. Devemos descartar as ideias preconcebidas e não procurar encaixar as Escrituras à força na posição que preferimos ou já concluímos ser a mais correta. Precisamos tratar da questão com a mente aberta e tentando apenas descobrir o que a Palavra de Deus ensina sobre o assunto. Este artigo tratará de vários aspectos das Escrituras e, somente após de analisarmos vários textos e conceitos, chegaremos em uma conclusão sobre o cristão e as bebidas alcoólicas. Quando ler esses trechos que mencionaremos, procure entender cada um por vez, mas aguarde para só no fim do estudo formular uma conclusão que leem em conta todos os aspectos em questão.
 
 Analise vários textos

Esses textos serão citados com poucos comentários. Estude cada um e analise com cuidado o seu significado. "O vinho é escarnecedor, e a bebida forte, alvoroçadora; todo aquele que por eles é vencido não é sábio" (Provérbios 20:1). O sábio mostra que há um perigo no vinho e que ele é enganador. "Ouve, filho meu, e sê sábio; guia retamente no caminho o teu coração. Não estejas entre os bebedores de vinho nem entre os comilões de carne. Porque o beberrão e o comilão caem em pobreza; e a sonolência vestirá de trapos o homem" (Provérbios 23:19-21). "Para quem são os ais? Para quem, os pesares? Para quem, as rixas? Para quem, as queixas? Para quem, as feridas sem causa? E para quem, os olhos vermelhos? Para os que se demoram em beber vinho, para os que andam buscando bebida misturada. Não olhes para o vinho, quando se mostra vermelho, quando resplandece no copo e se escoa suavemente. Pois ao cabo morderá como a cobra e picará como o basilisco. Os teus olhos verão cousas esquisitas, e o teu coração falará perversidades. Serás como o que se deita no meio do mar e como o que se deita no alto do mastro e dirás: Espancaram-me, e não me doeu; bateram-me, e não o senti; quando despertarei? Então tornarei e beber" (Provérbios 23:29-35). Que cena patética a do homem que se deixou vencer pelo álcool. "Palavras do rei Lemuel, de Massá, as quais lhe ensinou sua mãe. Que ti direi, filho meu? Ó filho do meu ventre? Que ti direi, ó filho dos meus votos? Não dês às mulheres a tua força, nem os teus caminhos, às que destroem os reis. Não é próprio dos reis, ó Lemuel, não é próprio dos reis beber vinho, nem dos príncipes desejar bebida forte. Para que não bebam, e se esqueçam da lei, e pervertam o direito de todos os aflitos. Dai bebida forte aos que perecem e vinho, aos amargurados de espírito; para que bebam e se esqueçam da sua pobreza, e de suas fadigas não se lembrem mais" (Provérbios 31:1-7). O vinho não serve para os reis, mas sim para os que não têm nada por que viverem. "Ai dos que se levantam pela manhã e seguem a bebedice e continuam até alta noite, até que o vinho os esquenta!" (Isaías 5:11). "Ai dos que são heróis para beber vinho e valentes para misturar bebida forte" (Isaías 5:22). "O Senhor derramou no coração deles um espírito estonteante; eles fizeram estontear o Egito em toda a sua obra, como o bêbado quando cambaleia no seu vômito." (Isaías 19:14). "Mas também estes cambaleiam por causa do vinho e não podem ter-se em pé por causa da bebida forte; o sacerdote e o profeta cambaleiam por causa da bebida forte, são vencidos pelo vinho, não podem ter-se em pé por causa da bebida forte; erram na visão, tropeçam no juízo. Porque todas as mesas estão cheias de vômitos, e não há lugar sem imundícia" (Isaías 28:7-8). Junto com a vergonha da embriaguez, as Escrituras geralmente frisam o efeito causado sobre a mente. Quando sacerdotes, profetas e juízes bebem, eles desviam os homens de Deus. O texto a seguir ressalta o mesmo pensamento: "A sensualidade, o vinho e o mosto tiram o entendimento" (Oséias 4:11). "Ai daquele que dá de beber ao seu companheiro, misturando à bebida o seu furor, e que o embebeda para lhe contemplar as vergonhas! Serás farto de opróbrio em vez de honra; bebe tu também e exibe a tua incircuncisão; chegará a tua vez de tomares o cálice da mão direita do SENHOR, e ignomínia cairá sobre a tua glória" (Habacuque 2:15-16). "Ou não sabeis que os injustos não herdarão o reino de Deus? Não vos enganeis: nem impuros, nem idólatras, nem adúlteros, nem efeminados, nem sodomitas, nem ladrões, nem avarentos, nem bêbados, nem maldizentes, nem roubadores herdarão o reino de Deus." (1 Coríntios 6:9-10). "Ora, as obras da carne são conhecidas e são: prostituição, impureza, lascívia, idolatria, feitiçarias, inimizades, porfias, ciúmes, iras, discórdias, dissenções, facções, invejas, bebedices, glutonarias e cousas semelhantes a estas, a respeito das quais eu vos declaro, como já, outrora, vos preveni, que não herdarão o reino de Deus os que tais cousas praticam" (Gálatas 5:19-21). "Porque basta o tempo decorrido para terdes executado a vontade dos gentios, tendo andando em dissoluções, concupiscências, borracheiras, orgias, bebedices e em detestáveis idolatrias. Por isso, difamando-vos, estranham que não concorrais com eles ao mesmo excesso de devassidão" (1 Pedro 4:3-4). A embriaguez é um pecado muitas vezes condenado.



Analise a História

A bebida forte tem um passado sórdido. O justo Noé caiu por causa do vinho: "Bebendo do vinho, embriagou-se e se pôs nu dentro de sua tenda" (Gênesis 9:21). Parece que a bebida alcoólica influencia a pessoa para fazer o que jamais faria se estivesse sóbria. Quando as filhas de Ló desejaram ter filhos do pai, elas o embriagaram e depois o procuraram. O álcool em si não estimulou a concepção, mas elas sabiam que Ló ficaria muito mais passível de cometer essa imoralidade se estivesse bêbado. "Subiu Ló de Zoar e habitou no monte, ele e suas duas filhas, porque receavam permanecer em Zoar; e habitou numa caverna, e com ele as duas filhas. Então, a primogênita disse à mais moça: Nosso pai está velho, e não há homem na terra que venha unir-se conosco, segundo o costume de toda terra. Vem, façamo-lo beber vinho, deitemo-nos com ele e conservemos a descendência de nosso pai. Naquela noite, pois, deram a beber vinho a seu pai, e, entrando a primogênita, se deitou com ele, sem que ele o notasse, nem quando ela se deitou, nem quando se levantou. No dia seguinte, disse a primogênita à mais nova: Deitei-me, ontem, à noite, com o meu pai. Demos-lhe a beber vinho também esta noite; entra e deita-te com ele, para que preservemos a descendência de nosso pai. De novo, pois, deram aquela noite, a beber vinho a seu pai, e, entrando a mais nova, se deitou com ele, sem que ele o notasse, nem quando ela se deitou, nem quando se levantou. E assim as duas filhas de Ló conceberam do próprio pai" (Gênesis 19:30-36). Absalão decidiu matar Amnom enquanto este bebia, talvez por crer que ele seria menos capaz de se defender se estivesse num estado um tanto inebriado: "Absalão deu ordem aos seus moços, dizendo: Tomai sentido; quando o coração de Amnom estiver alegre de vinho, e eu vos disser: Feri a Amnom, então, o matareis. Não temais, pois não sou eu quem vo-lo ordena? Sede fortes e valentes" (2 Samuel 13:28). Um dos pecados de Belsazar, na noite em que viu a mão na parede e em que seu reino foi tomado, foi o fato de estar bebendo: "Beberam o vinho e deram louvores aos deuses de ouro, de prata, de bronze, de ferro, de madeira e de pedra" (Daniel 5:4).



Analise a palavra vinho na Bíblia


 O termo vinho na Bíblia tem vários significados. Nos textos acima, está claro que a palavra se refere à bebida alcoólica. Mas, em outras ocasiões, significa suco de uva. Examine, por exemplo, Lucas 5:36-38: "Também lhes disse uma parábola: Ninguém tira um pedaço de veste nova e o põe em veste velha; pois rasgará a nova, e o remendo da nova não se ajustará à velha. E ninguém põe vinho novo em odres velhos, pois o vinho novo romperá os odres; entornar-se-á o vinho, e os odres se estragarão. Pelo contrário, vinho novo deve ser posto em odres novos." O vinho novo nesse texto diz respeito ao suco de uva fresco. A ideia é que quando o suco é posto nos odres, ele aumenta durante o processo de fermentação. Se colocado em odres velhos que já estão esticados, estes se romperão. É um fato geralmente aceito, como mostra claramente esse texto, que o vinho na Bíblia nem sempre era alcoólico. Talvez as nossas palavras beber e bebida possam ser um bom exemplo da mesma duplicidade de sentido. Dependendo do contexto, beber pode certamente estar relacionado com bebidas alcoólicas ou apenas significar a ingestão de algum líquido qualquer. É muito importante lembrarmos desse sentido duplo da palavra vinho. Em João 2, Jesus transformou perto de 600 litros de água em vinho. Fez isso depois que os convidados da festa "beberam fartamente". Jesus fez vinho suco de uva ou vinho alcoólico? Lembre-se que as duas coisas são possíveis tendo em vista a própria definição do termo vinho. Mas há duas considerações que nos levam a crer firmemente que se tratava de suco e não de bebida alcoólica. Em primeiro lugar, Jesus o fez na hora. No primeiro momento em que o vinho daquela época era produzido, ele era suco. Somente após um processo de envelhecimento e de fermentação é que se tornava alcoólico. Em segundo lugar, o que é mais importante, se Jesus tivesse feito vinho alcoólico, ele teria estado incentivando a embriaguez. A questão aqui não é um ou dois copos de vinho. Essas pessoas, após já terem bebido muito, receberam mais umas centenas de litros. Jesus jamais incentivou os pecados do homem, tampouco contribuiu para eles. Portanto, parece claro que esse vinho era do tipo não-alcoólico.




É também útil entender algumas coisas sobre os vinhos alcoólicos das terras bíblicas. Naquela época, só havia fermentação natural. Eles ainda não tinham inventado a tecnologia para acrescentar mais álcool às bebidas fermentadas por processo natural. Isso significa que o mais alcoólico dos vinhos da Palestina tinha cerca de 8% de álcool. Pela lei, esses vinhos eram diluídos em água, normalmente três ou quatro partes de água para uma parte de vinho. Esses vinhos fracos, enfraquecidos mais ainda pela adição de enormes quantidades de água, passaram a ser usados como bebidas para acompanhar as refeições. Não eram usados como bebidas, mas apenas como se usa um copo de água ou uma xícara de café que se bebe com a refeição. Vários textos bíblicos parecem apontar para esse uso do vinho --como uma bebida para acompanhar as refeições (observe 1 Timóteo 3:3, 8; Tito 1:7; Mateus 11:18-19).


http://www.estudosdabiblia.net/c11.htm

 

O que quer dizer "vinho" na Bíblia?


Vinho, hoje em dia, é invariavelmente entendido a ser uma bebida alcoólica. Muitas pessoas pensam, automaticamente, que qualquer "vinho" mencionado na Bíblia tinha um conteúdo significativo de álcool. Mas, isso não é verdade.

"Vinho" na Bíblia é o produto da uva. Frequentemente se refere a uma bebida alcoólica semelhante a tais bebidas hoje. Em tais casos, o vinho é descrito como causador de muito sofrimento, e como algo que conduz homens a cometer diversos pecados vergonhosos. Deus claramente proíbe o uso de tal vinho, e dá bons motivos para não bebê-lo. O uso de bebida forte pelos sacerdotes ativos no tabernáculo foi proibido, pois eles precisavam discernir entre o certo e o errado, e tinham a responsabilidade de ensinar a palavra de Deus ao povo (Levítico 10:8-11). Sacerdotes de hoje (cristãos ­ 1 Pedro 2:5) têm o mesmo motivo para abster-se totalmente de bebidas alcoólicas, exceto nos permitidos usos medicinais (1 Timóteo 5:23). Não era para reis beberem, porque precisavam usar bom senso e juízo (Provérbios 31:4-5). A justiça continua sendo um aspecto importante da vida de cada servo fiel ao Senhor (Filipenses 4:8). O uso de bebidas alcoólicas é geralmente condenado na Bíblia (Provérbios 20:1; 23:29-35; Gálatas 5:21; 1 Pedro 4:3; 1 Coríntios 5:11; etc.).

Mas, a palavra "vinho" é também usada na Bíblia para descrever o produto não fermentado da uva -- o que nós chamamos suco de uva. Pode ver isso em casos onde as mães o deram aos bebês (Lamentações 2:11-12) e onde é considerado uma bênção de Deus (por exemplo, Oséias 2:8-9). Usando a palavra "vinho" em dois sentidos, Jesus diz em Marcos 2:22 que vinho novo rompia odres velhos (já esticados e endurecidos). A expansão de fermentação natural estourava os odres velhos.

Da mesma maneira que nossa palavra "bebida" tem que ser entendida no contexto (poderia ser água, refrigerante, suco, cerveja ou vodca, dependendo do contexto), o sentido de "vinho" nas Escrituras tem que ser determinado pelo contexto.

Compreendendo esse fato ajudará a entender o primeiro milagre de Jesus (João 2:1-11). Nada no texto sugere que Jesus transformou água em bebida alcoólica. No contexto de tudo que a Bíblia fala sobre bebida forte, é inimaginável que Jesus teria feito centenas de litros de vinho alcoólico.
 
-por Dennis Allan
 
 
 
 
Embriaguez, Folias
por William E. Fain


 
 
É fácil ver a relação entre essas duas palavras, pois, embora seja possível que alguém esteja bêbado, ou seja alcoólatra, sem participar de folias, seria difícil tomar parte de folias sem estar embriagado.  Esse assunto não pode ser uma questão de opinião ou de discernimento pessoal:  são obras da carne pecaminosas e proibidas; portanto, qualquer pessoa que pratica isso não herdará o reino.  Para ser salvos, devemos crucificar o velho homem, e buscar o perdão por meio de Jesus Cristo.


 Sabendo que essas coisas trazem a ruína espiritual, a nossa tarefa neste artigo é principalmente de definição e de entendimento de como fazer as nossas vidas se conformar, de bom grado, à sua vontade.  Não podemos meramente ser indiferentes, nem apenas nos afastar dessas práticas: devemos sentir a mesma revolta pelas obras da carne que o nosso Pai celeste.
 

A embriaguez
 



Há pessoas religiosas chamando-se "cristãs" sem condenarem a embriaguez?  A maioria concorda que a prática do alcoolismo é pecaminosa, embora alguns achem desculpas dizendo tratar-se apenas de uma enfermidade.  A maioria dos especialistas e conselheiros em medicina concordam em que seja uma doença ou um vício, já que o álcool é uma droga. Entretanto, ainda que de fato passe a ser uma doença ou um vício, o que não se pode vencer sem ajuda, ela começa com a prática consciente e deliberada do pecado.  Ela implica:  Œ falta de domínio próprio (Romanos 12:2; Gálatas 5:23);  não pensar no resultado que terá sobre as outras pessoas (Romanos 14:13-15:3; 1 Coríntios 8); e Ž recusa de refletir sobre a necessidade e o poder da influência (Mateus 5:13-16; 1 Pedro 2:11-12, 15-16).  Poucos bêbados ou alcoólatras tencionaram ser assim.  Isso me lembra uma história que se passou poucos anos atrás numa igreja do oeste do Texas, igreja essa grande e fraca, a qual enviava questionários a novos pregadores em potencial.  Uma das perguntas formuladas era:  "Você bebe?".  Ainda bem ­ mas a seguinte um choque:  "Quanto?".  Um ex-pregador de uma grande igreja (e mais tarde diretor de uma faculdade teológica) certamente jamais sonhou quando começou a tomar alguns drinques em festas sociais, e mais um pouco para aliviar o seu "estresse", que sob a influência do álcool ele teria um acidente de carro e mataria duas mulheres.  Quando se começa a beber, vai-se na direção errada: em direção à embriaguez e ao vício do álcool.


 A estatística de morte, destruição, angústia e massacre causados pela ingestão de álcool é estarrecedora demais para não levarmos em conta.  Seria extremamente difícil encontrar qualquer coisa boa para dizer sobre qualquer coisa que ainda remotamente se relacionasse com a fabricação das bebidas alcoólicas.  Causa muito prejuízo.
 
Folias
 

Como se disse anteriormente, só a definição mostra por que esta obra da carne se encontra em tão desonrosa companhia ­ a lista dos atos humanos mais vis e baixos.  Não conheço nenhum dicionário, vocabulário ou comentário que tenha qualquer coisa boa para dizer sobre a folia.  Esta palavra se acha condenada em Romanos 13:13, Gálatas 5:21 e em 1 Pedro 4:3 ; e num sentido secundário, em 2 Pedro 2:13.  Uma definição mais abrangente associa-a à lascívia, às orgias, às bebedices, aos tumultos, às festas, às práticas sensuais, à intemperança tumultuosa e às festas excessivas

Irmãos e irmãs em Cristo, devemos permanecer afastados dessas obras da carne ­ em pensamento, em palavra e em ação!
 
 
 
 
 

quarta-feira, 29 de maio de 2013

(VÍDEO) - O Partido Calvinista condena a prática homossexualista e as "políticas públicas esquerdistas" para homossexualizar a sociedade. Os petistas são os principais protagonistas na imoralização e anarquização dos indivíduos e da famílias. Valores cristãos não coadunam com alianças petistas e esquerdistas.

(VÍDEO) - O Partido Calvinista condena a prática homossexualista e as "políticas públicas esquerdistas" para homossexualizar a sociedade. Os petistas são os principais protagonistas na imoralização e anarquização dos indivíduos e da famílias. Valores cristãos não coadunam com alianças petistas e esquerdistas.

Clique no link abaixo para acessar o vídeo:http://partidocalvinista.blogspot.com.br/2013/05/o-partido-calvinista-condena-pratica.html

(VÍDEO) - Estratégia dos Esquerdistas, Socialistas, Petistas e Social-Democratas para IMBECILIZAR as nossas crianças através da "filosofia e metodologia construtivista".

(VÍDEO) - Estratégia dos Esquerdistas, Socialistas, Petistas e Social-Democratas para IMBECILIZAR as nossas crianças através da "filosofia e metodologia construtivista".

Clique no link abaixo para acessar o vídeo:
http://psceducacao.blogspot.com.br/2013/05/estrategia-dos-esquerdistas-socialistas.html

(VÍDEO) - Música contra o pecado e depravação do homossexualismo! Querem processar o cantor!

(VÍDEO) - Música contra o pecado e depravação do homossexualismo! Querem processar o cantor!

Clique no link abaixo para assistir o vídeo:
http://familiacalvinista.blogspot.com.br/2013/05/video-musica-contra-o-pecado-e.html

sábado, 18 de maio de 2013

Daniela cantará na Parada Gay (subsidiada pelos impostos dos Cristãos, Católicos, Evangélicos e Pessoas de Bem), e quer prisão para homofóbicos. - O Espírito Intolerante dos Homossexuais é mais violento e cruel que o NAZISMO. Cristãos, Católicos, Evangélicos e Pessoas de Bem que acreditam que o Homossexualismo é Pecado serão os futuros habitantes de Presídios.

Daniela cantará na Parada Gay (subsidiada pelos impostos dos Cristãos, Católicos, Evangélicos e Pessoas de Bem), e quer prisão para homofóbicos. - O Espírito Intolerante dos Homossexuais é mais violento e cruel que o NAZISMO. Cristãos, Católicos, Evangélicos e Pessoas de Bem que acreditam que o Homossexualismo é Pecado serão os futuros habitantes de Presídios. 

Clique no link abaixo para verificar a aberração e sofisma moral:
http://intoleranciahomossexual.blogspot.com.br/2013/05/daniela-mercury-quer-prisao-para.html

quarta-feira, 15 de maio de 2013

terça-feira, 14 de maio de 2013

O ICEC - Instituto de Cultura e Educação Calvinista, na pessoa do seu coordenador, Luis Cavalcante, presbítero presbiteriano, como calvinista, cristão conservador e ortodoxo, defendemos a DRA. DAMARES ALVES e condenamos a esquerdista, neo-marxista e liberal metodista Magali do Nascimento Cunha pelo seu sofisma em desqualificar o vídeo e fortalecer a política esquerdista ideológica de sexualizar, homossexualizar, bissexualizar e androginizar as nossas crianças.

O ICEC - Instituto de Cultura e Educação Calvinista, na pessoa do seu coordenador, Luis Cavalcante, presbítero presbiteriano, como calvinista, cristão conservador e ortodoxo, defendemos a DRA. DAMARES ALVES e condenamos a esquerdista, neo-marxista e liberal metodista Magali do Nascimento Cunha pelo seu sofisma em desqualificar o vídeo e fortalecer a política esquerdista ideológica de sexualizar, homossexualizar, bissexualizar e androginizar as nossas crianças.

Clique no link abaixo para ler o artigo:http://jornalsaopaulopresbiteriano.blogspot.com.br/2013/05/o-icec-instituto-de-cultura-e-educacao.html

quinta-feira, 4 de abril de 2013

POPULAÇÃO CARCERÁRIA


POPULAÇÃO CARCERÁRIA
O ICEC - Instituto de Cultura e Educação Calvinista desenvolve algumas ações teonômicas para levar a População Carcerária para CRISTO.

sexta-feira, 8 de março de 2013

Pronunciamento da Convenção Batista Brasileira (CBB): Estatuto da diversidade sexual.


Diversidade Sexual

pronunciamento
Pronunciamento oficial da Convenção Batista Brasileira reunida em sua 93ª Assembléia Geral realizada em Aracajú-SE. Onde se fizeram representar cerca de 2 milhões de Batistas Brasileiros através de suas 10.000 Igrejas Batistas afiliadas à Convenção Batista Brasileira.
convencao_batista_brasileira
Considerando que as liberdades de consciência e religiosa são princípios fundamentais garantidos pela Constituição (Art. 5º, IV, VI e VIII), nós, Batistas da CBB, fundamentados no princípio de liberdade religiosa, somos compelidos por nossa fé cristã a nos pronunciar em defesa das citadas liberdades.
Consideramos ser nosso direito e dever apresentar este pronunciamento à luz da verdade que é baseada na Bíblia, na razão (a qual, cremos ser um dom de Deus) e na natureza da pessoa humana. Ressalte-se que a Bíblia Sagrada é nossa única regra de fé e prática, onde encontramos a verdade revelada de Deus para a conduta humana. Assim, conclamamos cristãos e não-cristãos a que ponderem e reflitam cuidadosa e criticamente nas questões aqui apresentadas.
À luz dos §§ III e V do Art. 226 da Constituição Federal combinado com o Art. 1514 do Código Civil Brasileiro, entendemos que o casamento se restringe à união de um homem e uma mulher por natureza de nascimento.
A exemplo do Projeto de Lei Complementar 122/2006, o Estatuto da Diversidade Sexual, entre outras coisas, tem como objetivo criminalizar a homofobia (Art. 1º), assegurar casamento homoafetivo (Art. 15), proibir tratamento e até mesmo promessa de cura a não-heterossexuais (Art. 53), assegurar oportunidades de trabalho para os beneficentes do Estatuto (Art. 73 § único), adotar políticas públicas em nível nacional, estadual e municipal visando a conscientizar a sociedade da igual dignidade dos heterossexuais, homossexuais, lésbicas, bissexuais, transexuais, travestis, transgêneros e intersexuais (Art. 105).
Quanto à homofobia, somos contra qualquer tipo de discriminação, desrespeito, abuso ou violência, seja ela contra quem for. Todavia, nos reservamos o direito constitucional (liberdade religiosa) de discordar da prática homossexual, por entender que é biblicamente pecaminosa e viola o padrão original de Deus para os seres humanos. O Antigo e o Novo Testamento desaprovam severamente práticas homossexuais (Lv 18.22; 20.13; Is 3.9; Rm 1.24-27; 1 Co 6.9-10; 1 Tm 1.9-10). Consequentemente, não aprovamos tais práticas.
Em relação ao chamado casamento homoafetivo, entendemos que uniões legais amparam arranjos de pessoas do mesmo sexo que decidem estabelecer um relacionamento de união e que necessitem legar herança, visitar companheiros em hospitais etc. Por outro lado, o matrimônio biblicamente instituído por Deus é uma união integral de corpo e mente (Gn 2.18,23-24), baseado em um compromisso de permanência e exclusividade entre o sexo masculino e o sexo feminino, e selado pelo ato sexual. A Bíblia Sagrada apresenta a criação dos seres humanos em dois sexos: “…homem e mulher os criou” (Gn 1.27). Tal criação visava ao casamento, expresso em companheirismo, união sexual e procriação (Gn 2.23-25). Jesus Cristo reiterou esta norma ao afirmar “que o Criador desde o princípio os fez homem e mulher, e disse: Por esta causa deixará o homem pai e mãe, e se unirá a sua mulher, tornando-se os dois uma só carne” (Mt 19.4-5). Esta união tem valor intrínseco, independente de procriação. Todavia, se houver filhos, a união se aprofunda e enriquece. Entendemos que o casamento, nos parâmetros bíblicos, salvaguarda os interesses das crianças. Adicionalmente, cremos que é direito de toda criança ter pai e mãe. Portanto, o Estado deve reconhecer e apoiar o matrimônio. Não concordamos com a criação de um novo modelo de casamento contrariando a Bíblia, a própria Constituição (Art. 226) e o Código Civil (Art. 1521). Por sinal, quebrada a normatividade do casamento heterossexual, os mais diferentes modelos poderiam ser propostos, tais como: casamento aberto, casamento incestuoso, casamento temporário, casamento poligínico, casamento poliândrico etc. Ministros religiosos não podem ser forçados a realizar e reconhecer uniões homoafetivas e devem ser respeitados em seus direitos humanos.
No que se refere a proibir tratamento e até mesmo promessa de “cura” a não heterossexuais, tem-se presentemente ampla evidência de pessoas que foram homossexuais praticantes, e através de tratamento foram restauradas. Portanto, tal proibição é um contrassenso. A Bíblia registra a restauração em I Coríntios 6.9-11, “…Não vos enganeis: nem impuros, nem idólatras, nem adúlteros, nem efeminados, nem sodomitas, … herdarão o reino de Deus. Tais fostes alguns de vós; mas vós vos lavastes, mas fostes santificados, mas fostes justificados em o nome do Senhor Jesus Cristo e no Espírito do nosso Deus.” Consequentemente, defendemos que ministros religiosos e profissionais liberais devem ter assegurado o direito de ministrar tratamento a homossexuais que assim o desejem.
No que diz respeito a assegurar oportunidades de trabalho para não-heterossexuais, entendemos que forçar empresas ou instituições a empregarem pessoas cujo comportamento ou crenças são contrários à visão das citadas organizações constitui violação constitucional.
Quanto a adotar políticas públicas em nível nacional, estadual e municipal visando a conscientizar a sociedade da igual dignidade dos heterossexuais, homossexuais, lésbicas, bissexuais, transexuais, travestis, transgêneros e intersexuais; vale ressaltar que o termo “dignidade” pode fazer referência a, pelo menos, duas coisas: (1) à dignidade intrínseca, fundamento dos direitos humanos, absoluta e que todo ser humano possui simplesmente por ser humano, criado à imagem e semelhança de Deus (Gn 1.27); ou (2) à dignidade moral, que não é absoluta, mas gradual, relativa ao comportamento moral de uma pessoa; ou seja, quanto mais os atos de um indivíduo estiverem de acordo com o que é correto, maior a dignidade moral dessa pessoa. De acordo com este último conceito, consideramos que todas as práticas sexuais que se desviem do padrão bíblico são moralmente deficientes. Promover políticas públicas que deixem subentendido que todas as práticas sexuais são igualmente corretas e desejáveis, representa absoluta contradição ao ensino bíblico relativo ao matrimônio, base da família, célula mater do Estado. Somos contrários, portanto, a tais ações e rejeitamos veementemente o art. 105, pois está sutilmente fazendo alusão a esse último conceito de “dignidade”.
Finalmente, rejeitamos qualquer instrumento de coerção que nos force a concordar com práticas inconstitucionais e antibíblicas. Por sinal, vale enfatizar que esse Estatuto é inconstitucional, ilegal, heterofóbico e cristofóbico. Sabemos que quando os poderes terreno e divino colidem, nossa obrigação é “obedecer a Deus, e não a seres humanos” (At 5.29). Portanto, nenhum poder na terra — seja cultural ou político — nos forçará ao silêncio ou à acomodação.
Comissão de Altos Estudos da Convenção Batista Brasileira,
Pr. Dr. David Bowman Riker, relator
Aracajú (SE), 29 de Janeiro de 2013.




quinta-feira, 7 de março de 2013

O fascismo da Avaaz - Os bons fascistas — O petista Pedro Abramovay, chefão da Avaaz no Brasil, considera-se juiz de um tribunal de exceção e comandante de um pelotão de fuzilamento


O fascismo da Avaaz contra Silas Malafaia

Os bons fascistas — O petista Pedro Abramovay, chefão da Avaaz no Brasil, considera-se juiz de um tribunal de exceção e comandante de um pelotão de fuzilamento

Reinaldo Azevedo
Corre no site Avaaz — uma organização internacional, comandada, no Brasil, pelo petista Pedro Abramovay — um abaixo-assinado em favor da cassação do registro profissional do pastor Silas Malafaia, que é formado em psicologia. Já é uma barbaridade que adversários intelectuais ou religiosos desse ou daquele resolvam recorrer a tal expediente numa matéria como essa, mas vá lá… Houve reação. Também se criou uma petição contra a cassação, que superou a outra em número. O que fez Abromovay? Simplesmente tirou do ar a petição favorável a Malafaia e manteve só aquela que o demoniza. Escrevi, então, o post. No texto, informei que o rapaz — um dos queridinhos de Márcio Thomaz Bastos e ex-secretário Nacional de Justiça do governo Lula — é muito bem relacionado naquilo que o PT chama “mídia”.

Eis que, na madrugada desta quarta-feira, às 4h da matina, dou de cara com um texto na Folha Online, que pode entrar na categoria das coisas espantosas, intitulado “Protesto virtual pode levar Silas Malafaia a perder registro de psicólogo”. Como? Eu me ajeitei aqui na cadeira. “Quer dizer, então, que um protesto virtual pode agora decidir um registro profissional? Segundo Anna Virginia Balloussier, que assina o texto, sim. Escreve ela, num estilo que parece orgulhoso de misturar alhos com bugalhos:
“O que o pastor Silas Malafaia tem em comum com Renan Calheiros, o “Veta, Dilma!” (contra o novo Código Florestal) e os índios Guarani Kaiowá?
O líder evangélico também virou tema de um abaixo-assinado na Avaaz.org, como as listadas acima. E, por conta dele, está sendo investigado pelo Conselho Regional de Psicologia do Rio de Janeiro.
A turma da internet se voltou contra Malafaia, líder evangélico há três décadas, após sua participação no programa “De Frente com Gabi” (SBT), da jornalista Marília Gabriela.”
Notem que a “turma da Internet” virou agora um ente — e parece ter um lado só. O mais impressionante é que a repórter informa aos leitores, lá pelo fim do texto, que a petição em favor de Malafaia também foi lançada, reuniu mais assinaturas, mas foi retirada do ar pelo chefão da Avaaz, Pedro Abramovay, que foi entrevistado. E é ele quem diz:
“Mais de 77% da nossa comunidade votou para remover esta petição, e estamos muito orgulhosos dessa decisão democrática para rejeitar este tipo de lobby para continuar práticas homofóbicas”.

Chefe do pelotão de fuzilamento

Eis aí. Quando publiquei o texto de ontem à noite, alguns bananas tentaram reagir, acusando-me de estar pegando no pé do pobrezinho Abramovay. Nas poucas palavras acima, ele se revela. E ainda chama o que fez de “decisão democrática”, da qual se orgulha.
Para Abramovay, a democracia funciona assim: ele e sua turma se reúnem e decidem, por maioria, que reputação tem o direito de viver e que reputação tem de ser fuzilada. A Avaaz é, agora, um tribunal de exceção, dotado de um pelotão de fuzilamento. Vejam que graça esse rapaz: ele chama de “lobby” os que assinaram a petição em favor de Malafaia, mas não se refere nesses termos àqueles que assinaram a petição contra. Por quê? Ora, porque ele se tornou também juiz das petições.
Abramovay é só a manifestação aparentemente — e só aparentemente — mais civilizada daqueles vagabundos que impediram Yoani Sánchez de falar em Feira de Santana. Ele quer calar Malafaia. Por quê? Ora, porque não concorda com ele! Vão dizer que isso não é motivo suficiente…
Divulgação: www.juliosevero.com

Não ao totalitarismo homossexualista

Não ao totalitarismo homossexualista
http://intoleranciahomossexual.blogspot.com.br/2013/03/nao-ao-totalitarismo-homossexualista.html 

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

CIDADÃOS BRASILEIROS, não vamos esperar passar o carnaval para defender a dignidade da pessoa humana!

CIDADÃOS BRASILEIROS,


não vamos esperar passar o carnaval para defender a dignidade da pessoa humana! Vamos agir desde já, pois os destruidores da vida, da família e dos valores cristãos trabalham o ano inteiro, inclusive nos feriados de fim de ano e carnaval. Vejam:
No final de 2012, o Governo Federal liberou o aborto no Brasil em surdina; o Senador Paim do PT, novo relator do PLC 122/2006, tem feito declarações de que irá aprová-lo em 2013;
Nenhum Senador evangélico ou católico que se diz defensor da vida e da família lutou pela relatoria do PLC 122/2006 - o Senado tem ignorado os inúmeros telefonemas do povo brasileiro contra este projeto cerceador de direitos!;
Tanto Senadores quanto Deputados, até os eleitos para defender a criança e o adolescente, permitem e apoiam no Congresso Nacional a realização de seminários que visam a liberação sexual de crianças e adolescentes, incluindo o incentivo ao homossexualismo. Além disso, aprovam leis que permitem o casamento gay e outras do interesse da militância gay;
Embora não possamos generalizar, poucas vozes se levantam no Congresso Nacional com sinceridade e sem demagogia em prol dos valores da vida e da família. A maioria sustenta um discurso que gostaríamos de ouvir, contrários aos projetos de leis que visam à cultura da morte, à destruição dos valores familiares; contudo, parece estratégia para aparecer na mídia e enganar eleitores.
Precisamos estar mais presentes no Congresso Nacional fiscalizando o dia-a-dia daqueles em quem votamos para nos representar!
A NOSSA ÚNICA ESPERANÇA É A IGREJA QUE ORA SEM CESSAR E TRABALHA EM PROL DA DIGNIDADE DOS SERES HUMANOS E DAS FAMÍLIAS BRASILEIRAS. PELA FÉ, CREMOS QUE DEUS IRÁ MUDAR ESTA SITUAÇÃO!
 
Como seres humanos criados para refletir a imagem e semelhança de DEUS, cabe-nos continuar clamando ao DEUS VIVO e ainda nos manifestar de tal forma que chame a atenção da mídia. Isso porque o Congresso Nacional faz a sua pauta de acordo com a mídia televisiva, jornalística, as redes sociais da internet e os assuntos de interesse do Governo, onde a maioria ganha mensalões e mensalinhos. Daí o julgamento "acabar em pizza"! O POVO BRASILEIRO PRECISA REAGIR!
Líderes católicos da instituição AÇÃO E VIDA e evangélicos da ABRACEH-ASSOCIAÇÃO DE APOIO AO SER HUMANO E À FAMÍLIA- criaram um abaixo-assinado para apresentar no Congresso Nacional dizendo que somos CONTRA:
 
· o aborto;
· o infanticídio;
· a eutanásia;
· a liberação das drogas;
· a prostituição;
· o casamento gay;
· as normas penais de proteção gay superior aos demais cidadãos;
· o “kit gay” ou material similar;
· a adoção de crianças por pessoas com estilo de vida gay;
· a prostituição infantil;
· a revogação dos crimes da Lei de Biossegurança.
 
E QUE QUEREMOS A GARANTIA:
 
· da liberdade de expressão na internet e a NÃO aprovação do projeto de lei 2126/2011, chamado "Marco CIVIL DA INTERNET", que põe em risco o anúncio dos ensinamentos de CRISTO na rede mundial de computadores;
· da Vida das crianças indígenas;
· da liberdade e do direito de acesso a tratamento especializado aos que, espontaneamente, procurarem profissionais habilitados e grupos de apoio e mútua-ajuda para deixar a atração pelo mesmo sexo e o estilo de vida gay.
 
O ABAIXO-ASSINADO ELABORADO POR CRISTÃOS CATÓLICOS E EVANGÉLICOS PODE SER CONFERIDO NO SITE: www.acaoevida.com E NO BLOG: http://abraceh.blogspot.com . NO SITE DA AÇÃO E VIDA PODERÁ SER COPIADO E VEICULADO EM INSTITUIÇÕES E ENVIADO PARA O ENDEREÇO INDICADO. JÁ NO SITE DA ABRACEH ( http://abraceh.blogspot.com.br/2013/01/abaixo-assinado-em-prol-da-vida-e-da_29.html ), O LINK PODERÁ SER COPIADO E DIVULGADO AMPLAMENTE em sites, blogs, igrejas, na mídia social, em todos os sites e blogs do Brasil.
 
VAMOS JUNTOS CAMINHAR COM FÉ EM DEUS E AÇÃO!
 
FAÇA A SUA PARTE, MEU IRMÃO, AMIGO, CIDADÃO BRASILEIRO, independente de religião!
 

domingo, 3 de fevereiro de 2013

Campanha contra o Novo Código Penal (totalitário) que visa desagregar a Família





Paulo Roberto Campos
O Instituto Plinio Corrêa de Oliveira está promovendo uma campanha de abaixo-assinado pedindo ao Senado Federal a total rejeição do Projeto de Código Penal — o malfadado PLS 236/2012.
O ameaçador Projeto pretende regular até a educação dos filhos e mesmo sobrepor à autoridade paterna — o que faz relembrar o totalitarismo vigente no dinossáurico regime comunista da ex-URSS. Tal Projeto está repleto de absurdos — como os disparates abaixo enumerados —inaceitáveis por todos aqueles que prezam os valores familiares, a tradição e a moral.
Após percorrer diversas cidades brasileiras — difundindo obras em defesa da família em praticamente todos os dias de janeiro —, uma Caravana composta de jovens do Instituto Plinio Corrêa de Oliveiradedicou os dias 28, 29 e 30 para percorrer importantes vias da capital paulista colhendo assinaturas contra o Projeto de Código Penal. Elas serão entregues no Senado Federal pedindo que se rejeite em bloco tal Projeto. Todas as fotos neste post ilustram esta exitosa campanha de abaixo-assinado em São Paulo, cidade que calorosamente acolheu os jovens caravanistas.
Passou pela campanha o Pe. David Francisquini. Na ocasião ele autografou exemplares de seu "Catecismo contra o aborto".
FLAGRANTES DA CAMPANHA DE ABAIXO-ASSINADO NA AV. PAULISTA
O Príncipe D. Bertrand de Orleans e Brangança (esp.) e dois diretores do Instituto Plinio Corrêa de Oliveira (dir.) compareceram à Av. Paulista para prestigiar a campanha de abaixo-assinado
FLAGRANTES DA CAMPANHA DE ABAIXO-ASSINADO NA PRAÇA JOÃO MENDES (centro de São Paulo)
FLAGRANTES DA CAMPANHA DE ABAIXO-ASSINADO NA AV. FARIA LIMA

FLAGRANTES DA CAMPANHA DE ABAIXO-ASSINADO NO BAIRRO DE HIGIENÓPOLIS
Encerramento da campanha em São Paulo na sede do Instituto Plinio Corrêa de Oliveira